Bolsa Família é tema de seminário em São João de Meriti

Com o apoio das secretarias de Assistência Social, Educação e Saúde, o Comitê Intersetorial do programa Bolsa Família promoveu nesta sexta-feira (23/03) o Seminário Intersetorial do programa. O evento, realizado no Centro Cultural Meritiense, teve como objetivo debater assuntos referentes ao tema, tais como prestação de contas de 2017 e metas alcançadas. O Comitê Intersetorial tem como objetivo avaliar e monitorar os processos de trabalho em andamento no programa, em busca da diminuição da burocracia, além de promover plano de ação que identifique objetivos, metas, ações, materiais necessários e prazos. Participaram da solenidade gestores, assistentes sociais, professores e funcionários ligados à saúde e educação de São João de Meriti.

Segundo o subsecretário de Assistência Social, Santino França Duarte, é preciso abordar o papel das funcionalidades e conhecer os procedimentos referentes ao Bolsa Família. “Temos um desafio grande porque encontramos dificuldade de manter a meta mínima estabelecida pelo Ministério, já que existem pessoas em situação de vulnerabilidade social que dependem do Bolsa Família. Para isso, é preciso buscar estratégias para atender de forma mais efetiva essas famílias que necessitam e também que a gente consiga angariar recursos. Por isso a importância de fortalecer o Comitê”, observou.

A subsecretária de Educação de São João de Meriti, Rita de Cássia Barbosa, destacou a importância em unir os esforços entre as secretarias e o Comitê. “As nossas crianças precisam que essa frequência seja apontada a tempo, para que então possamos fazer alguma coisa”, disse, se referindo à verificação de frequência de 85% nas aulas dos alunos de seis a 15 anos e de 75% dos jovens entre 16 e 17 anos, uma das exigências do Governo Federal para participação no programa.

Para a subsecretária de Saúde, dra. Malu Santos, o trabalho em conjunto das secretarias é de extrema importância para ampliar o acesso aos direitos sociais básicos à população. “As secretarias devem promover este trabalho dentro das comunidades”, afirmou. De acordo com a dra. Malu, é necessário que o cadastramento seja realizado durante todo o ano. “Os funcionários da Secretaria de Saúde, dos postos de saúde, escolas, entidades de bem-estar social precisam, comumente, estar suscitando uma resposta para que a gente não venha a perder não só os incentivos, que são importantes, mas também para que as pessoas não percam uma situação da mais alta representatividade do seu dia a dia, da sua alimentação, porque isso representa um caos dentro da família”, destacou.

O assessor técnico da Coordenação Estadual do Programa Bolsa Família e Cadastro Único, Jean Silveira, chamou a atenção para o olhar de cuidado e ação. Para ele, encontros como esse servem para que os gestores possam mirar em melhores estratégias de atendimento, trabalho e melhores resultados. “É um momento louvável, onde reunimos essas três secretarias, com seus representantes, para discutirmos e mostrar dados que vão somar ao trabalho que vem sendo realizado, na expectativa de termos resultados mais impactantes na vida da população mais pobre”, observou.

Durante o seminário dos resultados de 2017, a Secretaria de Educação registrou 20.933 beneficiados, em 264 escolas. Já a Secretaria de Saúde informou que na primeira vigência de 2017, 14.571 famílias foram selecionadas para acompanhamento, 5.792 foram acompanhadas, com um percentual de 39,75%. Já na segunda vigência do ano passado, foram 12.730 famílias para acompanhamento, 5.418 acompanhadas, com um percentual de 42,50%.

Servidores da Saúde garantem descontos em Universi...
Seop lança edital para regulamentação do trabalho ...