Irreconhecível, Brasil perde para Tailândia pela primeira vez na história do Grand Prix

A grande atuação na vitória sobre a Sérvia, na sexta-feira, não se repetiu neste sábado. Diante da jovem equipe da Tailândia, a seleção brasileira feminina de vôlei não se encontrou em quadra. Sem poder de reação diante de um adversário veloz e com uma defesa onipresente, o grupo comandado por José Roberto Guimarães perdeu para o time oriental pela primeira vez na história do Grand Prix. O placar na cidade de Sensai foi definido em apenas três sets (parciais de 25/22, 25/21 e 27/25).

Em busca da reabilitação, o Brasil volta à quadra já na madrugada de domingo contra as donas da casa, pela segunda fase da competição. Novamente com transmissão do SporTV 2, a seleção encara o Japão a partir de 1h15 (horário de Brasília).

Diferente do que aconteceu diante das sérvias, as brasileiras não começaram bem e foram para o primeiro tempo obrigatório vendo 8/4 para as oponentes. O set inicial seguiu duro, como mostrou um rali de 43 segundos finalizado com a bola fora da Tailândia, já na frente com 12/9 no marcador. Mostrando irregularidade, o Brasil chegou a igualar em 21, mas não conseguiu a virada e perdeu a primeira parcial por 25/22.

Sem um bloqueio alto, o selecionado tailandês compensava com uma defesa espetacular e um rapidíssimo contra-ataque. Destaque no triunfo sobre as sérvias, Natália (e o restante do time nacional) não reeditava a atuação anterior, e as rivais aproveitaram, abrindo 6/0. Apático, o Brasil não se achava no jogo e dava armas para as adversárias seguirem mandando. Um bloqueio simples de Pleumjit Thinkaow fez o placar subir para 16/10. Com o panorama sombrio, as brasileiras tentaram na base da força, mas muito pouco para superar as elétricas tailandesas, que levaram também o segundo set (25/21).

 

As seleção estava irreconhecíveil e foi para o tudo ou nada na terceira parcial. Até conseguiu passar à frente, indo para a parada técnica com 8/7 a favor após três erros consecutivos das adversárias. A reação, no entanto, não durou muito, pois novamente a Tailândia tomou a dianteira (12/10). Na base da paciência, as meninas brasileiras apertaram o ritmo e chegaram a virar novamente (19/18). Porém apenas adiaram o revés, selado com o auxílio do tira-teima após uma bola para fora ter tocado em Tandara (29/27).

O Brasil começou a partida com Roberta, Natália, Adenizia, Tandara, Rosamaria, Bia e a líbero Gabi. Entraram também Amanda, Monique, Naiane, Drussyla e Carol. Com quatro pontos, Drussyla foi a maior pontuadora do Brasil, o que mostra o pequeno poder de fogo da equipe dirigida por José Roberto Guimarães. Pela Tailândia, o destaque maior foi de Pleumjit Thinkaow e Ajcharaporn Kongyot, ambas com 10 pontos.

 
Golpe da ‘bomba baixa’ desvia gasolina do tanque e...
Juiz manda polícia apurar responsabilidade por vio...
 

Comentários

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Login Aqui
Visitantes
Quinta, 21 Setembro 2017