Zé Ricardo fala em boa partida e gols inacreditáveis: "A fase não é boa"

Quando a fase não é boa, não tem santo que ajude. O Vasco foi superior ao Vitória em posse de bola e finalizações, mas foi derrotado em São Januário com falhas do setor defensivo. O técnico Zé Ricardo acredita que o desempenho do Cruz-Maltino não condiz com o resultado, e lamenta a primeira derrota do time no Campeonato Brasileiro.

- Lamentamos muito o resultado. A fase não é boa. As coisas têm que ser feitas de forma simples, e muitas vezes não acontecem da forma que a gente quer. Taticamente fizemos boa partida, tivemos boas oportunidades, tomamos dois gols de forma inacreditável. Tentamos furar o bloqueio usando as laterais. Mas, infelizmente, em lances isolados acabamos perdendo a partida.

Após a eliminação na primeira fase da Libertadores e a derrota por 3 a 0 para o Bahia na primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil, o tempo está fechado para o Vasco. Além do futebol instável, o clube passa por problemas administrativos. Para o comandante, isso incomoda e pode ser prejudicial.

- Não é de hoje que o Vasco passa por turbulências. A direção tem tentado solucionar isso, e a gente tem tentado separar. Mas acho que tudo interfere. Algumas mais, outras menos. Vivemos 24h o clube e resolvemos os problemas de forma interna.

Com a derrota, o Vasco mantém os sete pontos e ocupa a sexta posição na tabela do Brasileirão (pode ser ultrapassado por Botafogo, Fluminense e América-MG, que jogam na segunda). O Cruz-Maltino ainda tem um jogo a menos, contra o Santos. Na próxima rodada, enfrenta o Flamengo, sábado, no Maracanã, às 19h (de Brasília).

Má sorte

Em momentos assim acontecem alguns lances que tiram um pouco a confiança do atleta. Hoje aconteceu de a gente pegar uma equipe que fez uma proposta extremamente reativa, dentro daquilo que a gente esperava. Tomamos um gol na saída de bola, outro que desviou, outro contra. O que podemos explicar disso? É futebol.

Defesa

A volta do Breno foi importante para a gente. Jogador de muito valor. Zagueiro precisa estar bem para começar e terminar uma partida. Bruno Silva foi bem, precisamos de agressividade, um jogador mais próximo do ataque.

Quando eu achar que o Ricardo tem que entrar, ele vai entrar. Temos cinco zagueiros, ele é uma das nossas opções. As escolhas são do treinador.

Feliz com o desempenho

Futebol hoje você sai atrás, não dá oportunidade ao adversário de jogar de forma mais reativa. Acho que até que nos mantivemos equilibrados. Postura me agradou. Temos que trabalhar o psicológico dos jogadores.

Produzimos para vencer a partida, mas hoje o imponderável esteve contra a gente. Agora é trabalhar.

Clássico com o Flamengo

É um jogo especial. Vamos tentar igualar a questão física. Precisamos tentar dar uma equilibrada física em todo mundo porque vamos precisar do elenco todo.

Crivella acompanha implosão do antigo prédio do IB...
Restrição do foro privilegiado tira do Supremo Tri...