Caso Marielle: reconstituição confirma o uso de uma submetralhadora

O relógio marcava 2h50m quando o silêncio do Estácio foi quebrado por uma rajada de disparos. O procedimento fazia parte da reconstituição do assassinato de Marielle Franco Anderson Gomes. O laudo só deverá ficar pronto em 30 dias, mas investigadores confirmaram que a arma utilizada no crime foi uma submetralhadora HK MP5. Era a resposta crucial que precisavam para abrir uma nova frente de apuração: levantar todas as armas desse tipo que pertencem às forças de segurança do estado e, em seguida, fazer uma perícia em todas elas. O assunto vem sendo discutido entre a Delegacia de Homicídios da capital e o gabinete da intervenção federal.

 

PM é assassinado a tiros na Via Dutra, em Nova Igu...
Vacinação contra a gripe mobiliza postos de saúde ...