Nota do prefeito Marcelo Crivella sobre a ação na Rocinha

NOTA - É com muita tristeza que o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, acompanha a situação de medo e insegurança provocada por traficantes de drogas, nessa sexta-feira, dia 22, na Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul. Crivella se solidariza com os moradores que vivem na localidade e estão passando por dias extremamente difíceis. O prefeito reforça a recomendação das autoridades policiais para que as pessoas evitem circular nas áreas onde estiver ocorrendo operações das forças militares. O Centro de Operações Rio, ligado à Secretaria Municipal de Ordem Pública, reforçou o monitoramento das imagens na região. Por medida de segurança, agentes da Guarda Municipal e operadores da CET-Rio fecharam a autoestrada Lagoa-Barra entre 10hs e 14hs.

Apesar de ser uma responsabilidade do Governo do Estado, a Prefeitura do Rio não vai se eximir de contribuir com o que for possível para combater a violência na cidade. A criação, em abril, do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) - que reúne todas as forças para trabalhar em conjunto - e o redirecionamento da atuação do COR são algumas das ações para que o município participe de forma efetiva, com suas devidas atribuições, com a segurança da cidade. Além disso, o prefeito Marcelo Crivella já cobrou, em Brasília, a presença do Governo Federal nas ações de controle das rodovias, e também nas de apreensão de armas, principalmente fuzis. O prefeito considera que, com a colaboração de todos, o Rio vencerá essa batalha.

Apesar do cerco das Forças Federais, Rocinha tem n...
Pezão pede ajuda do exercito para combater tráfico...